Jamie Mário Oliver


Bem, ainda não tinha anunciado mas, finalmente arranjei trabalho e estou agora (desde dia 31) no período "à experiência". Mudei completamente de ramo pois os tempos que correm e a crise que já passou mas que faz perdurar os seus efeitos e/ou desculpas assim o ditam. Recorde-se - ou, para quem não sabe - que sou mecânico naval, com formação de um ano realizada nas instalações da Lisnave em Setúbal e mais um ano de experiência no mesmo local. Depois disso, aliciado por melhores salários rumei a Eindhoven (Holanda), onde trabalhei um par de meses na SmitOvens (construção de fornos industriais para a cozedura de painéis solares). Durante todo o ano passado, dei o ar da minha graça em Bruxelas (Bélgica), numa das maiores estações de tratamento de águas residuais da Europa, onde, assim como nos dois empregos anteriores, cumpria funções directamente ligadas à serralharia. Agora, desde o início do ano que me encontrava desempregado e não foi por falta de procura. Inscrevi-me em todas as empresas de trabalho temporário em Mechelen e Antuérpia (são mesmo muitas), também fiz uma ficha no Centro de Emprego e corri grande parte das estufas da área. Nada, por vezes promessas, muitas vezes falsas promessas. Agora, e por intermédio do Luís (companheiro da minha mãe) que é o chef do Riccione da Enzo, sou ajudante de cozinha. Um ajudante que ainda precisa de alguma ajuda mas, com o tempo vou-me aperfeiçoando. O trabalho não é leve, nas horas de clientela é até stressante e tem de haver coordenação motora para poder desempenhar várias tarefas ao mesmo tempo mas, é talvez o trabalho menos pesado fisicamente que já tive. E por isso até me congratulo por ter começado a minha vida laboral num estaleiro naval. Começando pelo pior, tudo o que vier a seguir é encarado de forma positiva. O único contra é o horário, normal para quem trabalha na restauração, ou seja: 11h/15h-pausa- 18h/23h, fins-de-semana incluídos, sendo a segunda-feira o dia livre...
publicado por Mário às 11:55 | link | comentar | partilhar