O Chef, o Prazo e a Escola

Desde o início da semana que estou a trabalhar a tempo inteiro no restaurante. E como se sabe, horários de restaurante são tudo menos ortodoxos. E a pausa de 3 horas à tarde mata-me, porque o corpo amolece, e começa a habituar-se ao dolce fare niente. Em relação à minha progressão neste novo emprego, posso dizer que está a ser satisfatória. Já faço pizzas e começo agora a brincar com a massa e a passá-la de mão p'ra mão para poder esticá-la mais rapidamente. Também já sou eu que trato das lasagnas, caneloni's, e de tudo o que seja frito, o que faz com que, durante a semana não precisamos de mais ninguém na cozinha a não ser eu e o chef.

Havia um problema do qual nunca cheguei a falar aqui que, agora também já está resolvido: o meu prazo de estadia no país acabava dia 29 de Abril. Até esse dia teria de obter um contrato de trabalho para poder tornar-me residente português na Bélgica. Caso não o arranjasse, teria de sair 3 meses do país para depois voltar mas, essa hipótese estava fora de questão, bastando-me portanto a alternativa de ficar trancado na casa da minha mãe ou dos meus sogros durante esse tempo, já que, a polícia viria cá a casa controlar, e caso eu fosse encontrado no país, pagaria uma multa avultada, seria extraditado e só podia cá voltar ao fim de 5 anos. Como podem imaginar estes últimos dias têm sido intensos e tanto eu como a Joana, temos sido duas pilhas de nervos prestes a explodir. Mas agora, o contrato está assinado e foi reencaminhado para Bruxelas, restando-me apenas esperar uma cartinha para ir à stadhuis de Mechelen levantar o meu cartão.

Hoje vou à escola de nederlands inscrever-me. Talvez daqui a uns tempos comece a escrever os posts em duas línguas, not. 
publicado por Mário às 10:25 | link | comentar | partilhar