Dicotomia Escrever/Dizer

Se há coisa que gostava de ser capaz, era de articular as palavras ditas da mesma forma que as escrevo. A obviedade desta problemática está na pré-acção. Quando dizemos, não temos o tempo de preparação que a escrita nos facilita (a menos que sejamos pressionados por algum tipo de prazo). Na verdade, muitas vezes digo coisas que preferia não ter dito e que jamais escreveria. Invariavelmente, sinto que o filtro que deveria existir entre ideias e mensagem expressa foi-me retirado à nascença, substituído por uma memória temporária capaz de dissecar tudo o que disse anteriormente de forma bastante crítica, normalmente destrutiva. Encaro isto como uma questão essencialmente mecânica, enraizada num universo deslocado.

 

publicado por Mário às 21:53 | link | comentar | partilhar