O processo de abandonar o ninho II

Durante este mês vão haver mudanças drásticas no mundo do Mário, e não, não vos falo do "Fantástico".

Acontece que, os meus pais vão divorciar-se e tencionam desfazer-se da casa em que vivemos...
Se seguir o pai, emigro temporariamente para a Bélgica, perco o emprego e destruo todo o percurso laboral que idealizei. Se seguir a mãe, vou viver com a avó, sem privacidade e sem estabilidade. Decidi não seguir ninguém. 
Porque não gosto de andar com a carroça à frente dos bois, não quero contrair dívidas nem prestações ao avançar para a compra de um apartamento. Também não tenho os rendimentos necessários para me aguentar, e, já que sigo o meu próprio caminho, não tenciono ficar dependente das ajudas de terceiros.
Que outras opções me restam? Alugar um quarto. 
Pedi ajuda a uma amiga que estuda no Politécnico de Setúbal, e meia hora depois, já recebia mensagens com contactos de pessoas que alugam quartos a estudantes (obrigado Raquel).
Hoje fui ver o primeiro. É no centro da cidade (tal como eu queria), tem boas condições (as necessárias) e o senhor foi bastante simpático. Disse que se eu quisesse, mudava-me já amanha e só começaria a pagar no final do mês. Expliquei-lhe toda a minha situação, e mostrou-se bastante receptivo. Gostei da primeira impressão. Preço? 150 euros mensais, mais despesas claro... Está dentro do "plafond", mas, não me quero precipitar. Ainda tenho duas semanas para estudar a oferta do mercado...

publicado por Mário às 19:37 | link | comentar | partilhar