Quinta-feira, 29.04.10

Crenças e Questões

Neste momento nada me parece mais oportuno que falar disto, agora que está para breve a visita do Papa a Portugal.

Estava eu deitado na minha cama de solteiro, no quarto que partilhava com o meu irmão e por vezes, com a minha cadela. Deveria ter uns 15 ou 16 anos. Os olhos pesados de sono e a janela completamente aberta, numa daquelas noites de Verão em desejamos dormir numa banheira apinhada de gelo. Não passava aragem alguma, apenas calor.
Nisto reparo que uma luz intensa aproxima-se da minha janela, encaro-a de frente mas não consigo ver nada a não ser claridade que me fere a vista. A luz torna-se mais forte, para num segundo, se desvanecer completamente. Tremo com medo. Que será isto? De repente, uma figura masculina com roupas brancas toma forma aos pés da cama. Uns olhos azuis penetrantes e penteado oldschool totalmente loiro. A minha incredulidade com aquilo deixa-me boquiaberto mas, estranhamente, sem qualquer receio, apenas curiosidade. É nessa altura que oiço uma voz: - Ò Malhão, Malhão! Que vida é a tua...
- Foda-se Roberto Leal, que fazes no meu quarto c...lho? Vai cantar para a Praça da Alegria ou para a p... que te pariu. Sai daqui c...lho!

Claro que nada disto aconteceu, mas foi a introdução possível para a questão pertinente que tem andado a assombrar-me desde ontem, por volta das 21:00, altura em que o "Malhão" na voz do Roberto Leal, tocava na Classic 21, uma rádio sediada em Bruxelas que passa exclusivamente grandes clássicos da música rock. Porquê? Não sei, mas gostava saber.
publicado por Mário às 17:01 | link | comentar | ver comentários (4) | partilhar

...


Perdido nas horas, algures no espaço contínuo disto a que chamo vida encontro-te, serena e suave, brisa matinal oceânica. A maresia que me relembra, que basta remar numa única direcção para sentir esperança.
Terra firme, a tal ilha miragem do náufrago, pode estar já ali, depois do horizonte infinito. É para lá que vou, e é lá que acordarei todos os dias com a tua frescura.
publicado por Mário às 00:24 | link | comentar | ver comentários (4) | partilhar
Segunda-feira, 26.04.10

Jamie Mario Oliver - A Mousse de Chocolate



Entretanto o Frango à Provençal com as batatas assadas a murro ficou por terra, pois acabei de receber um telefonema da minha mãe a dizer que trazia a comida para o jantar... E tal como referi no vídeo, hoje é o meu dia de folga, e por isso, já que traz, também terá de cozinhar.
publicado por Mário às 15:18 | link | comentar | ver comentários (19) | partilhar

Apertem os cintos

Ok, preparem-se porque vem aí mais uma produção audiovisual desse grande guru do cinema caseiro, conhecido pelos amigos como Mário.
publicado por Mário às 14:34 | link | comentar | ver comentários (3) | partilhar
Sexta-feira, 23.04.10

Inaptos


Não me querendo armar em esperto, parece-me que os meus colegas de escola saíram todos do mesmo cano roto. O cano da lentidão. Isto porque, é inexplicável a falta de aptidão para certa gente aprender. E se bem que compreendo a dificuldade dos que, nos seus países de origem nunca foram confrontados com o alfabeto ocidental, não percebo qual a dificuldade do australiano (por exemplo) ou a do gajo do Sri Lanka (que fala inglês perfeito), já que, eu que sou oriundo de um país latino, vejo-me muitas vezes a fazer análises à nova língua com base no inglês que, obviamente, pertence ao mesmo grupo linguístico do neerlandês. É bem mais fácil assim, pois, tenho algo com que comparar a matéria aprendida e assim, recordo-me posteriormente das diferenças e das semelhanças. Claro que isto é só agora, na fase inicial, porque chegarei a um patamar em que conseguirei pensar em neerlandês.
Posto isto, notei que hoje, a professora raramente se dirigiu a mim, escolhendo apenas os que têm mais dificuldade, mesmo quando o que tinham de responder estava estampado no quadro. E para o colombiano, é demasiado complicado perceber que Jij (tu) lê-se e não . Porquê? Não sei.
publicado por Mário às 15:41 | link | comentar | ver comentários (3) | partilhar
Quinta-feira, 22.04.10

European Union Rullezzz!

Conheço uma pessoa que, para poder obter os seus papéis de residência na Bélgica, tem de trabalhar de borla, para assim, poder pagar ao patrão os gastos que este teve com a assinatura do seu contrato. Que nome se dá a este trabalhador? Escravo do Sistema?
publicado por Mário às 15:40 | link | comentar | ver comentários (9) | partilhar
Terça-feira, 20.04.10

A Escola

É perto de casa e por isso, dá para ir met de fiets, que é como quem diz, de bicla. Claro está que fiz exactamente o que se faz nos primeiros dias de escola: amiguinhos. O Jobe (Austrália), o Sanjeewa (Sri Lanka), o Omar (Tunísia) e um irlandês que é doutra turma. Nisto de fazer amigos na escola, o mais importante são as semelhanças. Quando éramos miúdos normalmente, haviam os que jogavam futebol, os que gostavam de cinema, os que andavam de skate, etc, e por aí iam-se definindo grupos. Mas, o que poderá haver de semelhante entre um português, um australiano, um sri-lanquês (esta palavra não deve existir), um tunisino e um irlandês (além do facto de sermos todos jovens adultos que emigraram)? Falamos inglês e fumamos. Foi exactamente à volta do cinzeiro na pausa que nos demos a conhecer e foi porreiro poder trocar impressões com gente tão diferente. A professora é muito simpática mas quando foi preciso mandou calar os dois arménios matracas com um eloquente SHIIIIIU. Gostei disso. Reparei que sou o único europeu da minha turma e que a maioria (árabe) terá de estudar o alfabeto em casa. Resumindo, gostei. Quinta-feira há mais.
publicado por Mário às 14:05 | link | comentar | partilhar

Comentário em Destaque #1

Todos os blogs da pseudo-alta têm uma rubrica destas. E o meu, sendo um blog pseudo-interessante, estava mesmo a pedir algo do género. Portanto, e porque hoje é a primeira vez que destaco alguma coisa, destacarei não um comentário, mas dois do mesmo autor, numa de brinde de inauguração.

Piloto é o seu nome e não, não é um Golden Retriever. Ao que parece pertence à espécie humana, se bem que até ao momento ainda não tenha recebido dados que o comprove. Piloto escreveu o seguinte:

"ETAR..........ora , ora a merda a merda muito bem senhor Mario ñ me admirava nada, que um esquerdalho como tu cai-se tão baixo, mas bom cada um tem o que merece, eu desde que estou tambem no estrangeiro(sim , sou tambem mais falhado luso) sou camionista com orgulho, mas merda ja ñ vais, ja estas, eheheheh......"

Este trecho refere-se ao post "I'm a Jamaican in New York" em que falo sobre o meu percurso desde que saí de Portugal. Na altura trabalhava na Estação de Tratamento de Águas Residuais de Bruxelas Norte. Daí a piada fácil sobre merda, do senhor camionista com orgulho. De facto, na ETAR desci mesmo baixo. Cheguei a trabalhar a 8 metros de profundidade, mas também subi muito alto quando o meu cachet era depositado e auferia cerca de 3000 euros mensais. Era uma pena não lidar directamente com merda, pois na minha zona, as lamas já vinham tratadas e até cheirava a desinfectante, ou seja, melhor que certas merdas que por aí andam. De salientar que a merda em si, era transportada por senhores camionistas, ou seja, da mesma classe profissional que o Piloto, para outras instalações, onde seria mais tarde transformada em adubo orgânico.

"Vai, vai para a escola esquerdalho....es um falhado, ja que ñ estudas-te na tua patria vai estudar para a terra dos outros, vai mas é trabalhar fazer algo pela sociedade....eheh.."

Este é o outro comentário, e refere-se ao post anterior. De realçar que este senhor tem uma tara por orientações políticas. De facto sou de esquerda, mas nunca fui a comícios acenar bandeirinhas e das vezes que fui ao Avante, fui com o mesmo espírito com que ia para as Semanas Académias ou para o Sudoeste, ou seja, ouvir música. E se me auto-intitulo de esquerda, é porque acredito numa data de valores liberais que, por acaso, as ideologias com as mesmas tendências também acreditam. Mas algo que abomino são extremismos, palas nos olhos e dogmas. Portanto, não é por aí que vai lá senhor Piloto.
Quanto ao falhado, talvez seja. Quando era pequeno queria ser jornalista e hoje faço pizzas, mas sou um falhado feliz com o mesmo orgulho com que você é camionista. E sim, fui à escola no meu país, 12 anos consecutivos, além do ano em que estive empenhado na minha formação profissional, coisa que muito sinceramente, duvido que você tenha feito, ou se o fez, pela forma como escreve, tinha péssimos professores. E quem estuda não são os falhados, só para que saiba. Os falhados são os que se acomodam. Claro está que mandar-me trabalhar não adianta, porque sei bem quais as minhas obrigações profissionais, e a partir das 18:00 estarei no meu posto de trabalho, a fazer algo útil para a sociedade: cozinhar para quem tem preguiça de o fazer em casa. Quer ir lá jantar?
publicado por Mário às 13:40 | link | comentar | ver comentários (12) | partilhar
Segunda-feira, 19.04.10

Boas e menos boas notícias


Inscrevi-me no curso de nederlands e, por ter frequentado 12 anos de escola no meu país, por falar mais que uma língua e por ter acertado em todas as alíneas das 4 páginas do teste merdoso que me deram para fazer, posso escolher a escola que mais me aprouver, entre elas CVO CRESCENDO e CVO TSM em Mechelen ou o ILT em Leuven (Louvain). Esta era a parte boa.
A parte menos boa é que, devido ao meu horário de trabalho atípico tenho de ficar por Mechelen, na CVO CRESCENDO que é exactamente a escola para onde os burros que não acertaram no teste são encaminhados. Claro está que posso mudar assim que arranjar outro emprego. Começo amanhã!
publicado por Mário às 16:57 | link | comentar | ver comentários (2) | partilhar

O Chef, o Prazo e a Escola

Desde o início da semana que estou a trabalhar a tempo inteiro no restaurante. E como se sabe, horários de restaurante são tudo menos ortodoxos. E a pausa de 3 horas à tarde mata-me, porque o corpo amolece, e começa a habituar-se ao dolce fare niente. Em relação à minha progressão neste novo emprego, posso dizer que está a ser satisfatória. Já faço pizzas e começo agora a brincar com a massa e a passá-la de mão p'ra mão para poder esticá-la mais rapidamente. Também já sou eu que trato das lasagnas, caneloni's, e de tudo o que seja frito, o que faz com que, durante a semana não precisamos de mais ninguém na cozinha a não ser eu e o chef.

Havia um problema do qual nunca cheguei a falar aqui que, agora também já está resolvido: o meu prazo de estadia no país acabava dia 29 de Abril. Até esse dia teria de obter um contrato de trabalho para poder tornar-me residente português na Bélgica. Caso não o arranjasse, teria de sair 3 meses do país para depois voltar mas, essa hipótese estava fora de questão, bastando-me portanto a alternativa de ficar trancado na casa da minha mãe ou dos meus sogros durante esse tempo, já que, a polícia viria cá a casa controlar, e caso eu fosse encontrado no país, pagaria uma multa avultada, seria extraditado e só podia cá voltar ao fim de 5 anos. Como podem imaginar estes últimos dias têm sido intensos e tanto eu como a Joana, temos sido duas pilhas de nervos prestes a explodir. Mas agora, o contrato está assinado e foi reencaminhado para Bruxelas, restando-me apenas esperar uma cartinha para ir à stadhuis de Mechelen levantar o meu cartão.

Hoje vou à escola de nederlands inscrever-me. Talvez daqui a uns tempos comece a escrever os posts em duas línguas, not. 
publicado por Mário às 10:25 | link | comentar | ver comentários (7) | partilhar

FacebookFlickrLast.fmVimeo

Recentes

 

Arquivo

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

Links

RSS