Segunda-feira, 30.03.09

Zás

Esta é a cara de quem se levantou às 5:45 da manhã, andou a carregar tubos de inox às costas e chegou a casa às 19:00:

 

 

Conclusão: O trabalho contribui para a chamada "cara de parvo".

Intenção: Pronto, era só para vos mostrar que continuo com o ar rude de campónio.

publicado por Mário às 18:53 | link | comentar | ver comentários (3) | partilhar
Sexta-feira, 27.03.09

Sevilhanas em Mechelen

 

 

Digam lá se não cacei uma boa fotógrafa...

publicado por Mário às 19:57 | link | comentar | partilhar

...

Era madrugada, fria, escura. Ele, amante da noite, alimentava-se da maresia. Assim que escurecia, corria para a praia e lá vivia, lá pensava, lá madrugava, na madrugada, banhada por uma ondulação fria, som de água na areia, escuridão, luar, estrelas que se atropelam por um lugar no céu. Oh madrugada fria e escura que o fazes suspirar agora que vive de dia. Não troca um raiar de sol ao meio-dia nem o chilrear dum melro pelo tal espectro de sombra, vida na penumbra, fria e escura mas com cheiro e sabor a mar...

publicado por Mário às 19:04 | link | comentar | ver comentários (2) | partilhar

Portugal don't worry...



Mário is ok!
publicado por Mário às 18:47 | link | comentar | ver comentários (2) | partilhar
Segunda-feira, 23.03.09

O Post Meteorológico

Ora bem, a esta hora estão 21 graus em Setúbal, céu limpo. Imagino que o dia tenha sido solarengo.

De manhã, em Bruxelas, trabalhei de tshirt. Depois de almoço o céu ficou cinzento. Ao fim da tarde, tempestade. Chuva, frio, vento. À medida que me dirigia a Antuérpia as coisas pioraram e assim continuam...

Além de ter apanhado temperaturas muito baixas por estas bandas (por ex: 14 negativos), não achei o inverno insuportável. O segredo está no aquecimento das casas e estabelecimentos. Mas a principal diferença entre invernos, é que o português já acabou há uns tempos e o nosso dura, e dura, e dura...

publicado por Mário às 18:51 | link | comentar | ver comentários (12) | partilhar
Terça-feira, 17.03.09

A Questão da Metrosexualicoiso

Será que um homem torna-se menos homem se fizer limpeza à pele, solário, sauna, arranjar as mãos e depilação assim tudo num curto espaço de tempo? Não. Nem se torna homossexual tão pouco, como é lógico. Mas que é uma forma apaneleirada de gastar o tempo, lá isso é. As mulheres não entendem isto, já sei. Gastam muito tempo das suas vidas a tratarem de si próprias para parecerem bonitas perante os outros, então acham que os outros têm o dever de fazer o mesmo. Tanta letra para quê? Para dizer que alinho nessas merdas todas mas não pode ser de repente. Por exemplo: intervalar solário e sauna com uma sandes de torresmos e uma escarra na calçada. Mãos e depilação tudo bem, mas pelo meio beber três litros de vinho tinto a acompanhar uma azeitona. Essas coisas.


PS: Não fui, não sou, nem serei obrigado por ninguém a fazer estas paneleirices que acabei de referir. Nem com chantagens, nem ameaças. Rapaziada máscula de Setúbal, não culpem a tripeira. Ela até curte o meu aspecto monkey man com barba por fazer also known as "drogado do caralho".

publicado por Mário às 18:37 | link | comentar | ver comentários (21) | partilhar
Segunda-feira, 16.03.09

Jim SIT!!!

Depois de um longo e árduo brainstorming familiar acerca do nome do futuro cão da minha tia, chegámos a um consenso. O paneleiro do Yorkshire Terrier vai chamar-se Jimmy Bob! Em homenagem ao Hendrix e ao Marley, respectivamente. Para encurtar, chamar-lhe-emos Jim e assim também prestamos tributo ao Morrison. Há que destacar que o nome Foda-se esteve em cima da mesa...

publicado por Mário às 19:42 | link | comentar | ver comentários (4) | partilhar
Quarta-feira, 11.03.09

Resultados do Polígrafo

Neste post, mencionei 9 factos. Seis deles verdadeiros e três falsos. Muita gente comentou e orgulho-me de anunciar que NINGUÉM acertou.

 

1. Sobrevoei Lisboa num avião militar. Verdade

(Frequentava o 7º ou 8º ano e a minha professora de Ciências Naturais levou-nos a um baptismo de voo num Hercules C130. Levantámos na base aérea do Montijo, demos a volta à península de Setúbal e aterrámos em Figo Maduro).
 

2. Não morri afogado por um triz. Verdade

(Na praia do Carvalhal na costa alentejana, deu-mei uma cãimbra na perna enquanto nadava no meio de ondas enormes, engoli muita água e alguma areia.)
 

3. Quis suicidar-me quando era bebé. Verdade

(Com cerca de 6 meses, preso pelo cinto ao carrinho, consegui saltar e aterrar de cabeça no meio da rua.)
 

4. Experimentei cannabis pela primeira vez antes de andar na maior montanha-russa da Europa. Verdade

(Em Lloret de Mar, já tinha experimentado haxixe mas nunca havia fumado erva. Foi mesmo antes de entrar no Port Aventura.)
 

5. Ajudei um velho a passar a linha do comboio e ele quis dar-me todo o (muito) dinheiro que tinha. Verdade

(Ele estava podre de bêbedo, a cambaliar. Ajudei-o a passar a linha e acompanhei-o até casa que era na direcção da escola. À sua porta abriu a carteira e pediu-me pa levar o que quisesse, não levei nada. Quando cheguei à aula, atrasado, contei logo aos meus amigos, ainda devia estar branco.)
 

6. Caí de uma altura de quase 5 metros e só fiz uns hematomas. Mentira

(Com a sorte que tenho, partia-me todo.)
 

7. Já fui expulso duma igreja por estar a fotografar. Mentira

(Já fotografei em locais interditos a flashes mas, nunca fui expulso.)
 

8. Sou viciado em assistir a desportos motorizados. Mentira

(Odeio desportos motorizados.)
 

9. Ontem sem querer, rasguei as calças de ganga à minha namorada. Verdade

(Foi mesmo sem querer.)

publicado por Mário às 21:28 | link | comentar | ver comentários (12) | partilhar

La langue

Hoje fui almoçar à taberna do Pepe, um italiano que gere o negócio com a sua esposa espanhola. Como aquilo fica nos arredores de Bruxelas, fala-se francês. Enquanto almocei, dei por mim a comunicar em 5 linguas ao mesmo tempo. Uma mistura de portugues com espanhol com italiano com francês e holandês. Salganhada do caralho mas a língua de vaca estava boa.

publicado por Mário às 21:02 | link | comentar | ver comentários (3) | partilhar
Sexta-feira, 06.03.09

...

O "amor" tem sido um conceito fortemente violentado ao longo da evolução da língua portuguesa. Usamo-lo para tudo, por nada. O problema é que quando o queremos empregar com o sentimento que achamos ser o correspondente ao peso da palavra, soa a pirosice. E depois há aquela eterna fronteira... Onde acaba a paixão e começa algo mais? Podem ou devem coexistir? Qual vem antes? Qual vem depois? Sucedem-se sempre da mesma forma? Questões cuja resposta não pode ser dada por outrém mas sentida por nós, e eu, sinto que sei, precisamente o que sinto...

E porque hoje me fizeste sentir especial, e porque não tenho qualquer dúvida acerca do que sinto, e porque me estou a cagar para o que os outros achem ser lamechice ou não, apetece-me escrever isto: AMO-TE.

 

 

publicado por Mário às 20:51 | link | comentar | ver comentários (10) | partilhar

FacebookFlickrLast.fmVimeo

Recentes

 

Arquivo

2011:

 J F M A M J J A S O N D

2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

Links

RSS