E agora?

Se até agora fazia todo o sentido chamar namorada à minha namorada, quando o bebé nascer chamar namorada à minha namorada começará a parecer estranho. Não no discurso directo claro, aí trato-a pelo nome próprio, mas, quando me referir sobre ela a outra pessoa, não sei que lhe hei-de chamar. Tipo: Olá, o meu nome é Mário, esta é a minha namorada e este o nosso filho. A que soa isto? Que o meu filho foi um acidente no percurso. Se a tratar por companheira transporta-me para a meia-idade, esposa seria mentir e a minha mulher está carregado de sentimento de posse. Não há uma única boa alternativa.

publicado por Mário às 11:23 | link | comentar | partilhar